Current track

Title

Artist


Vacinação contra a Covid-19 entre os 12 e os 15 anos deve acontecer apenas com prescrição médica

Written by on 1 de Agosto, 2021

Ao contrário do que disse Marcelo Rebelo de Sousa, a vacinação não depende apenas da vontade dos país, mas sim do estado de saúde dos jovens, pelo que aqueles que não tiverem doenças só podem ser vacinados com prescrição médica, esclareceu a DGS.

A Direção-Geral de Saúde (DGS) , num esclarecimento enviado à agência Lusa, este domingo, dia 1, referiu, depois de ouvida a comissão técnica de vacinação contra a covid-19, que “deve ser dada a possibilidade de acesso à vacinação a qualquer adolescente com 12-15 anos por indicação médica“.

Ao contrário do que disse Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, no sábado, dia 31, a vacinação contra a Covid-19 está proibida para os jovens entre os 12 e os 15 anos, a menos que estes tenham uma prescrição médica.

Para já, a “vontade dos pais” ainda não determina nada relativamente à vacinação desta faixa etária.

Ainda assim, a DGS sublinha que, no caso de jovens entre os 12 e os 15 anos que tenham comorbilidades associadas, a vacinação passa a ser prioritária.

Referindo que “emitirá recomendações sobre vacinação universal de adolescentes com 12-15 anos logo que estejam disponíveis dados adicionais sobre a vacinação destas faixas etárias”, a autoridade de saúde liderada por Graça Freitas lembrou que, mesmo com indicação médica, a vacinação deve respeitar as faixas etárias em vacinação em cada momento.

“Tratando-se de menores, a vacinação é discutida com os pais ou representantes/tutores legais”, esclarece a DGS numa nota que cita o parecer emitido na passada sexta-feira, dia 30.

Note-se que a DGS teve a necessidade de imitir o esclarecimento relativamente à Covid-19 depois das declarações que Marcelo Rebelo de Sousa fez aos jornalistas no consulado de Portugal em São Paulo, no Brasil.

“As crianças vacinadas beneficiam de uma prevenção que lhes é positiva, isso não foi vedado, nem proibido pela DGS e está aberto aos pais em termos de escolha para os seus filhos”, disse o Presidente da República no sábado, depois de, na sexta-feira, a DGS recomendar a administração prioritária de vacinas contra a covid-19 apenas a crianças entre os 12 e os 15 anos com comorbilidades.

Fonte: Agência Lusa / Fotografia: Hotli Simanjuntak


Reader's opinions

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *